jusbrasil.com.br
16 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
Sétima Turma
Publicação
25/08/2017
Relator
José Luís Campos Xavier
Documentos anexos
Inteiro TeorTRT-1_AP_01651003619925010001_efd99.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL

JUSTIÇA DO TRABALHO

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

Gab Des José Luís Campos Xavier

Avenida Presidente Antonio Carlos 251 6o. andar - Gabinete 54

Castelo RIO DE JANEIRO 20020-010 RJ

PROCESSO: 0165100-36.1992.5.01.0001 - AP

PROCESSO: 0165100-36.1992.5.01.0001 - AP

ACÓRDÃO

7ª TURMA

EMENTA

AGRAVO DE PETIÇÃO. PRESCRIÇÃO QUINQUENAL. FASE DE LIQUIDAÇÃO E EXECUÇÃO. No Processo do Trabalho a arguição de prescrição somente pode ser realizada na fase de conhecimento e, ainda assim, na denominada “instância ordinária”, nos termos a Súmula no 153, do C. TST. Incabível reduzir a coisa julgada já formada sem qualquer limite prescricional sob pena de afrontar o art. , inciso XXXVI, da CRFB. Agravo de petição conhecido e desprovido.

Vistos, relatados e discutidos os presentes autos de agravo de petição nº TRT-AP- 0165100-36.1992.5.01.0001, em que são partes: INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL , como Agravante, e MOACIR QUEIROZ E OUTROS , como Agravados.

I-RELATÓRIO

Trata-se de agravo de petição interposto pelo reclamado em face da r. decisão de fl. 753, que julgou procedente em parte a impugnação aos cálculos apresentada pelos reclamantes.

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL

JUSTIÇA DO TRABALHO

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

Gab Des José Luís Campos Xavier

Avenida Presidente Antonio Carlos 251 6o. andar - Gabinete 54

Castelo RIO DE JANEIRO 20020-010 RJ

PROCESSO: 0165100-36.1992.5.01.0001 - AP

Os agravados apresentaram contraminuta nas fls. 761-764.

O Ministério Público do Trabalho se pronunciou pelo não conhecimento do Agravo de Petição ou então, acaso fosse superada a fase de conhecimento, pelo não provimento do recurso (fls. 768-768/verso)

É o relatório.

II-FUNDAMENTAÇÃO

ADMISSIBILIDADE

Conheço do agravo de petição porquanto atendidos os pressupostos legais de admissibilidade: 1) Tempestividade: o agravante tomou ciência da decisao em 04/11/2016 e ingressou com o agravo em 16/11/2016; 2) Representatividade: agravo interposto por Procuradora Federal; 3) Preparo: isento.

MÉRITO

DA PRESCRIÇÃO

Pretende o agravante a declaração de prescrição quinquenal das verbas deferidas na r. sentença transitada em julgado.

Pois bem.

Não houve declaração de prescrição quinquenal na sentença (fls. 340/349), tampouco no v. acórdão de fls. 443/445, que transitou em julgado.

A arguição de prescrição somente foi realizada pela

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL

JUSTIÇA DO TRABALHO

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

Gab Des José Luís Campos Xavier

Avenida Presidente Antonio Carlos 251 6o. andar - Gabinete 54

Castelo RIO DE JANEIRO 20020-010 RJ

PROCESSO: 0165100-36.1992.5.01.0001 - AP

reclamada na contestação aos artigos de liquidação (fls. 612/614) e renovada no Agravo de Petição (fls. 756-759).

Não assiste razão ao agravante.

No Processo do Trabalho, a arguição de prescrição somente pode ser realizada na fase de conhecimento e, ainda assim, na denominada instância ordinária, nos termos a Súmula no 153, do C. TST.

Maurício Godinho Delgado aponta que após a fase de conhecimento, interpretando-se o art. 884, § 1o, da CLT, poderia-se entender viável o acolhimento da prescrição caso o último ato liquidatório ou executório do processo tenha sido praticado há mais de dois anos, desde que mantido inerte o fluxo processual por inquestionável omissão do exequente. De acordo o autor:

b) Arguição na Fase de Liquidação e Execução – A fase própria de arguição da prescrição, no processo do trabalho, é a fase de conhecimento – mesmo assim circunscrita às fronteiras da denominada instância ordinária (Súmula 153, TST). À luz desses parâmetros já jurisprudencialmente assentados, cabe interpretarse o dispositivo celetista que autoriza a arguição de prescrição na fase seguinte à cognição do processo, consubstanciada na liquidação/execução (art. 884, § 1o, CLT).

A leitura integrada do referido dispositivo celetista com a interpretação componente das Súmulas 153 e 114 do TST conduz algumas conclusões combinadas. Em primeiro lugar, a pura e simples arguição de prescrição na fase de liquidação (isto é, após a instância ordinária) é, em princípio, inviável. Prescrição anterior à fase de conhecimento não pode, portanto, ser

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL

JUSTIÇA DO TRABALHO

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

Gab Des José Luís Campos Xavier

Avenida Presidente Antonio Carlos 251 6o. andar - Gabinete 54

Castelo RIO DE JANEIRO 20020-010 RJ

PROCESSO: 0165100-36.1992.5.01.0001 - AP

acatada na fase seguinte, liquidatória ou executória.

Em segundo lugar, a hipótese de prescrição ocorrida em momento posterior à sentença de conhecimento (certamente a hipótese aventada pelo examinado art. 884, § 1o, CLT)é, no processo do trabalho, sumamente rara, em face de não haver aqui, em princípio, a chamada prescrição intercorrente (Súmula 114, TST). Como então, nesse quadro interpretativo, conferir-se eficácia jurídica ao mencionado preceito do § 1o do artigo 884, CLT?

O único caminho para se garantir eficácia ao referido preceito, harmonizando o às fórmulas interpretativas consagradas já expostas, é compreender-se que, após a fase de conhecimento, somente será viável acolherse prescrição caso o último ato liquidatório ou executório do processo tenha sido praticado há mais de dois anos (art. 7o, XXIX, CF/88), isso se mantido inerte o fluxo processual por inquestionável omissão do próprio autor/exequente. Neste específico caso, incidira o preceito do art. 7o, XXIX, da Constituição, harmonizado ao art. 884, § 1o, CLT, objeto de recepção constitucional a essa específica e delimitada dimensão normativa.” (In Curso de Direito do Trabalho. 7a ed., São Paulo: Ltr, 2008, pp. 278/279).

No mesmo sentido o seguinte julgado do C. TST, verbis:

AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. PRESCRIÇÃO QUINQUENAL. ARGUIÇÃO NA FASE DE EXECUÇÃO. INCABÍVEL. AFRONTA À NORMA CONSTITUCIONAL NÃO CONFIGURADA . Incabível a arguição da prescrição quinquenal na fase de execução, porquanto jungida a decisão exequenda

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL

JUSTIÇA DO TRABALHO

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

Gab Des José Luís Campos Xavier

Avenida Presidente Antonio Carlos 251 6o. andar - Gabinete 54

Castelo RIO DE JANEIRO 20020-010 RJ

PROCESSO: 0165100-36.1992.5.01.0001 - AP

pelo manto da coisa julgada. Tal conclusão é corroborada, também, pelo entendimento consagrado na Súmula 153/TST, segundo a qual - não se conhece de prescrição não arguida na instância ordinária -. Não configurada afronta direta e literal à norma do art. , XXIX, da Carta Magna. Agravo de instrumento conhecido e não provido. (TST – AIRR: 2658002020095090965 265800-20.2009.5.09.0965,

Relator: Hugo Carlos Scheuermann, Data de Julgamento: 08/08/2012, 1ª Turma)

Desta forma, nego provimento.

III-CONCLUSÃO

Pelo exposto, conheço do agravo e, no mérito, nego-lhe provimento, na forma da fundamentação supra. Fica mantida a decisão de 1ª instância na íntegra.

ACORDAM os Desembargadores da 7ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, por unanimidade, conhecer do agravo e, no mérito, negar-lhe provimento, nos termos da fundamentação do voto do Exmo. Desembargador Relator. Fica mantida a decisão de 1ª instância na íntegra. Presente o Dr. José Cuissi.

Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2017.

Desembargador José Luis Campos Xavier

Relator

dm

Disponível em: https://trt-1.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/509551560/agravo-de-peticao-ap-1651003619925010001-rj/inteiro-teor-509551718

Informações relacionadas

Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região
Jurisprudênciahá 9 anos

Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região TRT-1 - Recurso Ordinário: RO 0165100-36.1992.5.01.0001 RJ

Tribunal Superior do Trabalho
Jurisprudênciahá 10 anos

Tribunal Superior do Trabalho TST - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA: AIRR 265800-20.2009.5.09.0965 265800-20.2009.5.09.0965