jusbrasil.com.br
23 de Janeiro de 2022
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região TRT-1 - RECURSO ORDINÁRIO : RO 01012892620165010401 RJ

Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
Segunda Turma
Publicação
01/05/2018
Julgamento
25 de Abril de 2018
Relator
MARCOS PINTO DA CRUZ
Documentos anexos
Inteiro TeorTRT-1_RO_01012892620165010401_5d760.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

ILEGITIMIDADE PASSIVA. PRELIMINAR REJEITADA. A legitimidade processual, como condição da ação, deve ser aferida abstratamente, de modo que os fatos e os pedidos trazidos pela parte autora se submetem a uma análise sem qualquer valoração dos elementos de prova coligidos aos autos. Isso porque, sendo o direito abstrato de ação desvinculado do direito material em si, ou seja, independente da procedência ou não dos pedidos, as condições da ação devem ser investigadas prima facie. Trata-se da Teoria da Asserção, há muito acolhida pela jurisprudência nacional. PRELIMINAR DE NEGATIVA DE PRESTAÇÃO JURISDICIONAL. ALEGAÇÃO DE OMISSÕES NA SENTENÇA. INCABÍVEL A DECLARAÇÃO DE NULIDADE. Não é o caso de decretar a nulidade da sentença por negativa de prestação jurisdicional, uma vez que o efeito devolutivo amplo do recurso ordinário, consoante o § 1ºdo art. 1.013do CPC, permite a este Órgão Julgador apreciar todas as questões suscitadas e discutidas no processo, ainda que não tenham sido solucionadas, desde que relativas ao capítulo impugnado. Como a matéria de fundo também foi devolvida ao Tribunal para reexame, todos os argumentos apresentados pela recorrente em preliminar serão analisados quando do julgamento do mérito. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. SÚMULA Nº 331, V, DO TST. In casu, a tomadora de serviços apresentou elementos de prova de que empreendeu efetiva fiscalização e detecção de irregularidades cometidas pela prestadora, cumprindo, assim, a obrigação que lhe competia, nos termos do art. 67da Lei nº 8.666/1993. Dessarte, o caso dos autos se insere na novel redação do item V, acrescentado à Súmula nº 331 da Corte Superior Trabalhista, pois houve a comprovação quanto ao cumprimento do dever de fiscalizar o contrato administrativo, razão pela qual se impõe negar a responsabilidade subsidiária da Administração Pública. MULTA POR OPOSIÇÃO DE EMBARGOS PROTELATÓRIOS. NÃO CABIMENTO. A aplicação da multa é excessiva, uma vez que a demandada não desbordou de seu direito de ampla defesa ao requerer pronunciamento explícito sobre o não cabimento da multa do art. 523, §

1º, do CPC.
Disponível em: https://trt-1.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/1111502929/recurso-ordinario-ro-1012892620165010401-rj